Bem Vindos!!!!!

Bem vindos queridos amigos e leitores! não reparem muito pois o Blog é novo e agora que me adentrei neste mundo tão virtual quanto a nossa propria realidade.
Criei este Blog amador com finalidade e objetivo de discutir principalmente o Jornalismo nosso de cada dia, todos os percausos e maravilhas desta profissão tão apaixonante.
Mas não se impressionem se forem abordados temas que fogem um pouco o tema Jornalismo.
No mais sejam bem vindos e lembrem-se:

"Se você é capaz de sonhar, é capaz de fazer."

Uma ótima leitura!
Até mais!

Josimar Melo


domingo, 30 de março de 2008

A VERDADE DE UMA MENTIRA

Em tempos de falsas verdades, histórias fictícias e credibilidade colocada em jogo o Jornalismo precisa reconstruir-se nas suas bases mais solidas a partir dos princípios que regem a real significação do termo ética.
O jornalista como mediador social entre a noticia e o publico deve ter o cuidado de como os fatos as noticias serão transmitidas e mostradas ao seu publico, seja ele leitor, telespectador, ouvinte ou até mesmo o internauta.
Este profissional da comunicação segundo as teorias do jornalismo, também é um construtor de uma determinada realidade, e o nosso dever profissional para com a sociedade, para com a moral e por que não também para com Deus é a veracidade das informações, um compromisso com a verdade e a ética é o caminho que se deve seguir para reconstruir este credibilidade e fidelização do publico para com o Jornalismo. Reconstruir o Jornalismo a partir da ética.
Mas juntar a teoria ética a pratica jornalística não é, e nunca será uma tarefa fácil, o comunicador sofre influências tantos pessoais, econômicas e por que não políticas no seu dia a dia, e isto gera uma série de implicações e conseqüências nesta figura humana geradora de opinião na sociedade. Observamos o caso do Jornalista Jason Blair do jornal mundialmente conhecido o The New York Times, que foi demitido por inventar varias noticias. Sofrer pressões como o imediatismo da matéria a ser publicada, a coação de editores para que seu trabalho jornalístico seja de qualidade com pouco tempo de produção, a necessidade de se manter no topo em uma das revistas ou jornais mais conceituadas do mercado, a briga de egos , todos esses são motivos que levam um profissional a inventar, caluniar e divulgar mentiras e ficções ao invés de noticias .Com o seguimento da ética o jornalismo se defende dos maus jornalistas.
Antes de se entrar em discussão sobre também a responsabilidade social do jornalista devemos atentar para a responsabilidade ética e moral que permeia esta profissão.
O chamado quarto poder está centrado nas mãos de diferentes profissionais e grupos que tem por único e exclusivo intuito, o lucro, não se importando com o caráter sensacionalista de sua matérias pois a noticia pode até ser sensacional, mais o sensacionalismo é a distorção, uma mascara do real “Uma falsa verdade” , o jornalismo como divulgador e construtor do real não deve se abster da conscientização sobre a ética nos meios de comunicação, com o advento da internet, as produções e inovações tecnológicas, torna qualquer internauta um possível divulgador de noticias e opiniões, e muitas das vezes sem critérios e observações sobre os vários lados das histórias.
Então para reconquistar esta chamada credibilidade, confiança e apego popular pelo Jornalismo, devemos nós atuais e futuros jornalistas nos aproveitarmos e usarmos a ética como forma de defesa contra o sensacionalismo e a ficção dentro do Jornalismo.
A ética pode ser comparada a perfeição onde sabemos que ela existe, e somente existe quando estamos sempre a alcançá-la mais temos o conhecimento que não a ainda não a alcançamos.

Código de Ética dos Jornalistas

Código de Ética dos Jornalistas.
Viabilização da rotina profissional.

Discutir e analisar o código de ética do jornalismo nos mostra duas vertentes de primordial importância, a rotina do jornalista e as regras éticas que permeiam esta profissão.
Temos como base o código atualizado no congresso de Vitória no mês de agosto de 2007,devendo o profissional de comunicação ter a preocupação com o público seja ele Leitor, ouvinte ou espectador. Mas estas normas apontam para o jornalista em si , faltando o olhar critico para os donos de Jornais e emissoras, chefes e coordenadores(Donos).
Analisaremos o Art.7º que explicita sobre a remuneração do comunicador; o exercício do jornalismo por pessoas não-habilitadas; Não obtenção de vantagens pessoais, atentamos para o seguinte ponto, qual o papel do sindicato e quais suas ações para coibir e fazer valer nossas práticas e normas?
Próximo ponto Art.8º, o Jornalista é responsável pela divulgação do seu trabalho desde que sua matéria não seja alterada por terceiros,dentro das redações e direções o texto ou reportagem passa por várias revisões mas a má repercussão caí somente nos ombros do Jornalista.
Art.11, Aponta para o sensacionalismo presente em crimes ou acidentes, Capas de jornais exibem fotos com fraturas expostas, sangue e sofrimento dos acidentados e seus familiares. O que fazer quando seu superior lhe entregar este tipo de trabalho? O Jornalista como empregado da empresa e subordinado ao Padrão editorial segue a várias ordens. O art.11 Aborda também a obtenção de maneira não correta de imagens e gravações; Salvo quando esgotadas todas as outras possibilidades de apuração, Então seria muito fácil a defesa nestes casos.
Art.12, Terceiro parágrafo cita a respeitabilidade com que as pessoas mencionadas nas informações devem ser tratadas. Meios de comunicação sensacionalistas proferem ataques pessoais e morais a pessoas de opiniões contrarias as suas linhas Editorias, e quem fiscaliza?
Art.14, Explana a respeito do acumulo de Funções e uma respectiva remuneração pelo trabalho extra. Necessidade do mercado, concorrência dentro e fora do trabalho, Os meios de comunicação precisam de um profissional que realize múltiplas funções, o chamado profissional “Multifacetário” e caso o empregado não aceitar sua remuneração contrata-se outro que aceite seu salário de única função, realizando trabalhos diversos.Discutir o código de ética é valido para todo e qualquer comunicador, mas Junto ao Código de ética do Jornalista deveria ser criado o “Código de Ética e Postura Profissional do Donos de Empresas de Comunicação”.
Responsabilidade Social do Jornalista


Discutir a respeito da responsabilidade social do Jornalista é preciso em primeira estância observar as rotinas diárias desta profissão.
O Jornalista como mediador social entre a noticia e o público deve ter o cuidado de como os fatos irão ser transmitidos, tendo o seu olhar critico mas não deixando de observar estes mesmos fatos pelo olhar do público seja ele leitor, telespectador ou ouvinte.
O profissional da comunicação é um construtor de uma determinada realidade, um construtor que sofre influências tanto pessoais quanto políticas e econômicas, dentro desta rotina o comunicador como funcionário segue a linha editorial da empresa em que trabalha, no nosso estado(Maranhão) a maior predominância de domínio é a força política, uma situação que deixa o Jornalista sobre duas vertentes ou é a favor ou contra um determinado grupo político que esteja no poder. A imparcialidade é um objetivo jornalístico que deve ser sempre almejado, mas como tentar alcançar esta dita imparcialidade se este mesmo profissional está de mãos atadas e com a mente angulada e direcionada pelas forças políticas e econômicas do grupo que comanda a empresa jornalística em que trabalha?
Como o comunicador poderá não ser escravo do sistema que já está imposto,o compromisso do jornalismo é com a verdade dos fatos,mesmo tento em vista a força organizacional deste meio profissional. O público toma como verdade aquilo que é divulgado muita das vezes não tendo o real discernimento de como aquela noticia chegou até ele, não sabendo dos critérios levaram determinado fato a ser divulgado e nem as pressões que o comunicador sofreu no decorrer do seu dia para construir sua matéria.
Antes de se entrar em discussão sobre a responsabilidade social do jornalista devemos primeiro atentar para a responsabilidade ética e para a responsabilidade moral que permeia esta profissão.


Josimar Melo